Bestiário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Bestiário

Mensagem por Storyteller em Sab Ago 23, 2014 2:57 am



Bestiário

O bestiário é um texto descritivo sobre criaturas, animais e monstros fantásticos, neste caso voltados ao universo dos magos. O bestiário contará com descrições das criaturas, informando-lhes sobre sua aparência física, sua personalidade e racionalidade, e sobre seus poderes, perícias e dons especiais.

As criaturas foram divididas em categorias para demonstrar a periculosidade delas, seu poderio e a dificuldade que pode apresentar em um combate:
X - Criatura sem Classificação e/ou que pode sofrer variação na conduta de personalidade por ser um robô ou um organismo criado.
Ω - Criatura dócil que não oferece perigo aos magos e muitas vezes aos mortais, geralmente pode ser domesticada.
ΩΩ - Criatura de periculosidade não muito considerável, exige em geral o empenho de magos novatos quando enfrentada, mas não apresenta grande risco.
ΩΩΩ - Criatura intermediária, apresenta uma periculosidade considerável, e nem todos os magos que não foram devidamente treinados ou preparados se sairão bem contra ela, correndo risco de morte.
ΩΩΩΩ - Criaturas que exigem uma maior competência, apresentando um risco até mesmo em um combate com magos experientes e de grande perícia.
ΩΩΩΩΩ - Criaturas que oferecem uma ameaça avançada, devem ser enfrentadas somente por grandes e magos e podem até combater deuses menores com igualdade.
ΩΩΩΩΩΩ - Criatura suprema, apresenta uma grandiosidade em seu poderio que o faz competir até mesmo com os deuses celtas e oferecer dificuldade aos mesmos.

ΩΩΩΩ Aranha Gigante- Estes monstros são versões gigantes das aranhas comuns, mas não constroem teias, sendo caçadoras furtivas e velozes. Vivem em tocas cavadas em encostas e barrancos nas montanhas e junto a árvores na floresta; as tocas são sempre muito bem camufladas (rolar Observar para achá-las). Só podem ser domesticadas através de magia. Lutam até a morte, não fugindo do combate mais forte. Os ataques e inoculação do veneno são feitos por suas fortes quelíceras (mandíbulas).
ΩΩ Duendes - Ninguém sabe ao certo a origem dos duendes. Alguns dizem que são pequenos demônios da natureza, outros que são Gnomos que não deram certo. Mas, uma coisa é certa, eles só aparecem quando existe alguma maldade no ar, alguma maldade que os desperte. Durante o dia e quando não há a presença do mal os duendes assumem a forma de troncos mortos retorcidos ou pedaços de rocha voltando à sua verdadeira forma à noite.
Eles são pequenos e mal formados, seus membros são desproporcionais e retorcidos, suas orelhas longas e pontudas, seus olhos totalmente negros e a cor de sua pele lisa vai desde o cinza pálido até o marrom de troncos podres.
ΩΩΩ Elefante de Guerra - Elefantes são grandes herbívoros cinzentos cujas volumosas orelhas podem chegar à metade da sua altura. Possuem duas presas de marfim na mandíbula superior que atingem até 4 metros de comprimento e também uma longa tromba flexível com narinas em sua extremidade. Elefantes possuem um corpo maciço e muito pesado. Em combate utilizam sua carga devastadora e seu tamanho descomunal, chutando e pisoteando inimigos caídos e empalando-os com suas enormes presas.
Em um ataque com sua tromba, ele imobilizara o adversário e o arremessará pra cima tentando transpassá-lo com suas presas de marfim durante a queda.
Elefantes podem ser domesticados se forem capturados jovens, entre os 5 primeiros meses de vida, podendo ser treinados para combate, sendo então denominados “Elefantes de Guerra”.
ΩΩΩΩ Gigantes de Fogo - Os Gigantes do Fogo são os mais organizados e temidos da espécie. Eles se dedicam à pilhagem e caça de escravos em comunidades vizinhas de outras raças. Além da caça, sustentam-se de criações mantidas por escravos, recorrendo à antropofagia, se necessário.
Algumas vezes, um Gigante do Fogo mais inteligente consegue unificar tribos, formando “pequenos reinos’, constituindo exército de até 100 guerreiros. Eles iniciam então um reinado de terror e pilhagens que normalmente não tem longa duração, terminando após a morte do líder. Os gigantes comuns usam cotas de malha parcial e espadas, já o líder usa couraça parcial e montante.
Os Gigantes do Fogo modificam e fortificam as cavernas onde vivem, sendo muito difícil tomar uma aldeia de assalto, pois eles também fazem uso intenso de armadilhas.
Em seus lares os Gigantes do Fogo guardam tesouros.
ΩΩΩ Goblins - Estas pequenas criaturas têm a pele esverdeada, fisionomia magra onde se ressalta a cabeça desproporcionalmente grande, com orelhas pontudas, boca pequena, nariz absurdamente empinado e enormes olhos. Suas mãos pequenas, porém fortes, são hábeis e sua agilidade é prodigiosa.
Os Goblins são mestres do subterfúgio. Em suas florestas, eles sabem se esconder de forma primorosa. Seus passos leves mal fazem barulho e eles estão sempre alerta. Sua sociedade é cruel e seu maior interesse é a conquista de gemas e metais preciosos que seus líderes procuram roubar de Humano ou magos indiscriminadamente. Esta é uma sociedade de ladrões de poucos escrúpulos, onde muitos acabam se tornando mercenários, embora não dos melhores.
Os Goblins possuem armaduras de couro leve e lanças, um quarto deles possui também um arco simples e 12 flechas. Os goblins só são encontrados em grupos.
ΩΩΩΩ Golens de Argila - Estes golens são feitos usando-se a mesma argila utilizada para se fabricar vasos e itens de cerâmica. Estas criaturas humanóides de cor argila têm feições pouco definidas e ligeiramente desproporcionais, quase caricaturas de seres humanos.
Devido ao seu grande peso, esta variedade de golem se move lenta e pesadamente, o que se reflete nas suas habilidades de combate. Golens de argila nunca usam armas, combatendo com seus punhos em qualquer situação. Além disso, esses golens são imunes a ataques mágicos que envolvam fogo, gelo ou eletricidade. Tais ataques atingem o golem e produzem o efeito apropriado (marcas de queimado, etc) mas não fazem nenhum dano.
Finalmente, como não têm nenhum órgão vital, golens de argila sofrem os efeitos especiais dos críticos como se fosse imaterial. Só possuem uma fraqueza: A Magia do elemento Terra, ou seja, só podem ser enfrentados por magos supremos ou magos hazorts.
ΩΩΩ Golens de Pedra - Assim como os outros, estes seres são criados com o uso de magias poderosas. Eles se parecem com enormes estátuas de pedra com formato humanóide e feições comuns, pouco marcantes. Caso seja usado um encanto que revele a presença de magia, o golem emanará magia fortemente.
Golens de Pedra se assemelham muito a estátuas animadas. Eles recebem uma missão logo após serem criados, exatamente como as Estátuas Animadas. Eles possuem as mesmas imunidades a efeitos adicionais de críticos e a magias que afetam a mente ou o espírito.
Da mesma forma que as Estátuas animadas, os Golens de Pedra sempre tentam cumprir a sua missão, a despeito das circunstâncias.
ΩΩΩΩ Harpias - Estas criaturas foram criadas por Rhita Gawr para o combate com Dagda. Harpias são seres que possuem o corpo de um gigantesco abutre preso ao torso de uma mulher de aparência horrível.
A disposição das harpias espelha a sua aparência, todas sendo cruéis, sádicas e perversas ao extremo. Alimentam-se exclusivamente de carne, mas têm preferência por carne que implora para não ser devorada. Preparação para as refeições envolve torturar a comida, não temperá-la.
Harpias vivem em grupos de 6 a 15 indivíduos, que se reúnem para caçar. Sua tática preferida é atacar de forma a derrubar a sua caça de despenhadeiros ou para fora de caminhos estreitos (muito comuns onde elas costumam viver) e depois devorar a presa com calma.
Em combate, Harpias procuram se manter no ar enquanto possível, usando as suas garras ou jogando pedregulhos. Caso sejam obrigadas a pousar, elas usarão punhais para combater.
ΩΩΩ Grifos - Grifos são seres, provavelmente criados por magia, que se apresentam sob a forma de um animal cuja metade dianteira é a de uma águia e a traseira de um leão e dotadas ainda de um par de asas de grande envergadura.
Carnívoros extremamente ferozes, costumam se unir e caçar em grupos de 6 a 15 membros.
ΩΩΩΩ Minotauros - Estas criaturas possuem o corpo de seres humanos extremamente musculosos e a cabeça de um touro. Apesar de sua aparência brutal eles possuem uma memória prodigiosa, se lembrando de cada meandro do local onde vivem.
Minotauros podem ficar por eras sem comer, mas estão sempre famintos. Eles se alimentam exclusivamente de carne, a qual pode ser de qualquer tipo, preferindo a carne de magos hazort a todas as outras. Algumas (raras) vezes carregam vítimas vivas para os seus lares para lá as devorarem com calma. Eles sempre carregam os pertences dos adversários vencidos para os seus lares, que ficam no ponto mais inacessível do labirinto.
Estas criaturas não se limitam a conhecer bem os labirintos aonde vivem, elas também os aperfeiçoam. Constroem armadilhas, fazem diversos buracos nas paredes para poderem ver o que os seus adversários estão fazendo e chegam mesmo ao ponto de construírem passagens secretas.
ΩΩΩΩ TrolsTrols são seres humanóides que possuem os maxilares desproporcionalmente grandes e olhos de um amarelo brilhante. Até mesmo o sangue destes monstros é repugnante, sendo de uma horrível cor verde e tremendamente mal cheiroso.
Estas criaturas são bestas sanguinárias, cuja força é igualada somente pela sua ferocidade e estupidez. Geralmente, vagam pelos campos matando (e comendo) qualquer coisa que lhes cruze o caminho (incluindo ursos, orcos e aventureiros). Os mais inteligentes são salteadores, que roubam, matam e comem qualquer viajante azarado o bastante para lhes cair nas mãos.
Trols são criaturas solitárias, raramente se agrupando. Nunca se soube de um grupo que tivesse mais de seis, a não ser que a convivência fosse forçada.
Trols costumam lutar usando suas armas preferidas: porretes. Note que, apesar de muito pouco inteligentes, são capazes de usar estratagemas simples e não se atirarão sobre pessoas ou grupos obviamente muito poderosos ou numerosos.
ΩΩΩΩΩ Dradenar - Os Dradenar possuem um corpo longo e sinuoso chegando a até 18 metros, quase como uma serpente, apesar de possuírem patas dianteiras e traseiras fortes e robustas. Esta adaptação é muito útil para atravessar com rapidez a vegetação quase impenetrável das densas florestas tagmarianas, onde fazem seus covis. A cor de suas escamas varia do verde claro ao marrom escuro, dependendo da época do ano, conferindo a estas feras uma camuflagem natural ao ambiente em que se encontram. Suas asas são curtas e raramente são usadas dentro de seu habitat. Entretanto, estes dragões são capazes de saltos extraordinários, quando o ambiente é propício, curvando seus corpos e conseguindo um “impulso” extra das pequenas asas. São capazes de saltar a até 100 metros de distância.
Amargos, solitários, beligerantes e extremamente traiçoeiros e agressivos, esta espécie draconiana se adaptou muito bem às florestas onde costuma caçar animais grandes para se alimentar, mas podendo também comer vegetais e animais de pequeno/médio porte, aqui se “incluindo” humanos, elfos, etc.
Em combate, ataca suas vítimas de duas maneiras: frontalmente, com suas mandíbulas cheias de saliva venenosa, além de suas garras, e com a cauda pelas costas, algo que seu corpo longo e flexível permite. Também possui um Hálito Encantado Venenoso e Causticante, que cria um jato de nuvem tóxica e ácida que causa dano a todos que respirarem e tiverem contato com a mesma, podendo utilizar sua baforada a cada duas rodadas. Sua tática habitual é seguir sua presa até um local com pouco vento, camuflando-se à vegetação da área, utilizar seu bafo venenoso para enfraquecer e, se necessário, separar a presa de seu grupo e então executar um ataque surpresa fulminante (geralmente saltando sobre a mesma).
ΩΩΩΩΩΩ Dragão de Fogo - Os Dragões do Fogo são poderosos e temíveis. São os mais freqüentemente encontrados, mas ainda assim são raramente vistos, suas aparições sendo motivo de pânico e desespero.
São seres de grande beleza, medindo cerca de 30 metros, com asas vermelhas e douradas, olhos vermelhos e escamas de um vermelho vivo com alguns locais dourados, garras vermelhas e uma cauda descomunal. Esta beleza só se compara à sua perversidade e ganância.
Eles procuram sempre locais longínquos para viver, voando grandes distâncias até encontrar suas vítimas. Estas criaturas são muito pragmáticas, costumando fazer acordos com os líderes em troca de comida e tesouros (e algumas vezes sacrifícios humanos, para variar a 'dieta') em intervalos regulares. Alguns deles, porém, são tão arrogantes, que preferem não fazer estes acordos, preferindo a diversão da 'caça' e da pilhagem.
Em combate, eles usam garras, mandíbulas e a cauda, além de seu hálito flamejante, sua maior arma. Esta, porém, só pode ser usada uma vez a cada duas rodadas. Estas criaturas descomunais possuem adicionalmente, as mesmas capacidades dê um Dragão do Gelo adulto em relação a línguas e avaliação de objetos.
ΩΩΩΩDragão de Gelo - Esta é a espécie mais fraca dos Dragões, ainda assim poderosos o suficiente para colocar medo no coração dos mais bravos aventureiros. Eles são gigantescos répteis alados, medindo cerca de 20 metros de comprimento. Apesar disto, seus corpos esguios são incrivelmente ágeis. Seus olhos são claros e suas garras, presas e escamas de um branco brilhante, que tende a se confundir com a neve.
Dragões do Gelo são perversos, gananciosos e sádicos, fazendo qualquer tipo de acordo para obter mais tesouros, quebrando-os quando lhes for mais conveniente. Eles vivem em locais longínquos, sempre em regiões de neves eternas, e voam longas distâncias para obter comida.
Estas gigantescas criaturas combatem com suas garras, presas e sua gigantesca cauda. Sua maior arma, no entanto, é seu hálito congelante, que eles podem usar uma vez a cada 2 turnos.
Os membros jovens desta espécie estão aptos a falar e ler em várias línguas. Os adultos têm a capacidade de falar e ler em todas as línguas conhecidas. Eles conseguem avaliar perfeitamente o valor monetário de qualquer objeto que lhes caia nas mãos.
Seus covis são em cavernas profundas e cheias de labirintos, mas esses seres desenvolveram uma fascinação pelo céu, até hoje pouco esclarecida e compreendida pelos que os estudam ou já tiveram o privilégio de encontrar algum deles. Como sua habilidade de voar foi seriamente reduzida, costumam ficar enterrados na areia, com apenas parte de sua cabeça do lado de fora, olhando para o firmamento celeste, principalmente à noite.

ΩΩΩΩ Dragão de Areia - Sendo escavadores velozes, conseguem se esconder rapidamente debaixo das areias. Em geral, expandem seus covis de tempos em tempos, às vezes fechando passagens já conhecidas pelos Filhos dos Deuses e abrindo novas.
Eles se alimentam apenas uma vez por mês, geralmente de animais de médio e grande porte, que encontram nos desertos onde vivem e dificilmente atacam acampamentos humanos para buscar comida. Além disso, tem o hábito de estocar alimentos, normalmente desidratados. E, como todo dragão, possuem apreço por tesouros, mas essa espécie prefere itens atemporais como jóias, artigos de literatura, arte e partituras de música. Verdadeiros poços de conhecimento secular. Normalmente, negociam com viajantes estes tesouros em troca de informações.
Em combate, os Dragões de Areia são frios e calculistas, jamais agindo de forma impetuosa ou descuidada. Parcimonioso, ele tentará convencer o inimigo à não lutar, nem que para isso tenha que recorrer à habilidade de Pacificação, concedida por Dagda. Caso o adversário resista e insista em lutar, ele mergulhará na areia (se houver no local) e atacará com terríveis mordidas, com suas poderosas garras e com a cauda, além de usar seu hálito elétrico a cada dois turnos . Em último caso, irá convocar nuvens de tempestade e fará desabar uma verdadeira chuva de relâmpagos sobre os inimigos.
ΩΩΩΩ Basilisco Repitiliano - Essas bestas nascem em ovos com o dobro do tamanho dos de crocodilos, e crescem até cerca de 2 a 3 metros de comprimento. Possuem um corpo grande e musculoso, suportado por oito patas fortes e curtas que terminam em unhas retorcidas. O dorso é coberto por pequenos espinhos e uma grossa camada escamosa. A cabeça lembra a de uma iguana, recheada de dentes pontiagudos muito fortes. A criatura tem coloração amarronzada e odor desagradável. O olhar do basilisco é mortal.
ΩΩΩΩ Basilisco Original - Os Basiliscos Originais são criaturas irracionais imensas, que crescem muito rápido – do tamanho de pequenos pintos até cerca de 6 metros de comprimento em poucos dias. São compostos por um imenso corpo de serpente, que algumas raras vezes possui pernas de aspecto reptiliano, um par de asas de morcego com grande envergadura e força e uma cabeça de galo – o bico, no entanto, possui recortes que lembram uma serra formada por pequenos dentes. Entre as escamas amarronzadas do corpo, pequenas penas – amarelas e vermelhas – podem brotar.
ΩΩΩΩ Aedra - Única espécie de Hidra alada, a Aedra possui duas ou, raramente, 3 cabeças. A coloração das escamas destas criaturas normalmente é negra, verde ou vermelha, enfeitando um corpo mais esguio e magro (embora não menos poderoso) que o normal das Hidras.
Quando em vôo, estes seres manobram pesadamente e em curvas abertas. As Aedras de três cabeças são ainda mais temíveis, pois exalam hálito flamejante do mesmo modo que um Dragão de Fogo.

Uso EXCLUSIVO da Administração

avatar
Storyteller
Admin

Mensagens : 24
Data de inscrição : 22/02/2014

Ver perfil do usuário http://rpgmagos.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum